Não esqueçamos o que nos distingue das máquinas

Numa era cada vez mais dominada pela inteligência artificial generativa, premiar a criatividade humana é um ato pré-revolucionário. Chegará o dia em que, no limite, a ‘criatividade artificial’ poderá ser o que nos resta para avaliar e premiar?

Por enquanto, queremos continuar a olhar e a distinguir o que os humanos são capazes de criar em comunicação comercial, com mais ou menos colaboração de máquinas, Midjourney, ChatGPT e todos os seus parentes, que se estão a reproduzir em nome da produtividade, eficácia, eficiência e melhoria dos resultados.

Chegará o dia em que as fichas técnicas irão incluir, obrigatoriamente, as ferramentas de inteligência artificial generativa utilizadas em cada campanha, lado a lado com os seus ‘pares’ humanos? E o Photoshop e seus derivados, normalizados há décadas, com todas as consequências, boas e más, sobejamente conhecidas?

Não há dúvidas sobre o poder da inteligência artificial nas várias fases de criação de uma campanha publicitária, da ideia ao planeamento da veiculação, passando pelo desenvolvimento e execução. Mas devemos acreditar, enquanto indústria, que é a capacidade de pensar de forma criativa e original, empática e ética, disruptiva e inclusiva, que torna os seres humanos insubstituíveis na publicidade.

Na 13ª edição dos Prémios de Criatividade continuamos a avaliar e a distinguir os melhores trabalhos publicitários gerados por humanos empáticos, éticos e com pensamento crítico e estratégico.

Nesta edição, Alexandre Costeira (GR8), Américo Vizer (LLYC), Filipe Teotónio Pereira (Nova Expressão), Francisco Pedreira (Clube Recreativo), Ivo Purvis (Dentsu Creative Portugal), João Madeira (Fuel), Judite Mota (VML), Luís Lobato Almeida (Pingo Doce), Mário Patrocínio (Bro Cinema), Nuno Cardoso (Nossa), Nuno Miranda (DAZN), Pedro Morgado (Fullsix), Rita Amzalak (Havas Media), Rodrigo Silva Gomes (Lola Normajean) e Vasco Thomaz (Judas) são os humanos responsáveis pela avaliação dos trabalhos a concurso. Um dia teremos máquinas a avaliar a criatividade de máquinas? Que esse dia esteja longe.

A inteligência artificial não sabe transformar dados em histórias, nem conhecimento em emoções, mas analisa quantidades gigantescas de dados, identifica padrões e indica as opções mais certeiras em função desses padrões.

A criatividade humana tem a capacidade de gerar perceções, conectar ideias aparentemente desconexas e criar algo completamente novo e original. É capaz de pensar fora da caixa, encontrar soluções inovadoras e criar histórias que tocam o coração e o espírito, que constroem marcas e criam notoriedade. É o que esperamos avaliar e distinguir nos trabalhos a concurso na 13ª edição dos Prémios de Criatividade M&P, que se distribuem por 66 categorias, em 16 grandes áreas (Televisão/Cinema, Áudio, Imprensa, OOH, Digital, Ativação, Relações Públicas, Eventos, Marketing Relacional, Media, Sustentabilidade e Responsabilidade Social, Suporte Alternativo/Inovação, Ação Integrada, Mercados Internacionais e Mercados Lusófonos). Haverá espaço, no futuro mais ou menos longínquo, para termos uma categoria para trabalhos gerados por inteligência artificial? Chegará o dia.

Até lá, e até à revelação dos vencedores da 13ª edição dos Prémios de Criatividade M&P, recorde aqui os vencedores dos últimos anos.

Catarina Nunes

Regulamento

Introdução

Os Prémios de Criatividade M&P, promovidos pelo jornal Meios & Publicidade, pretendem distinguir a melhor publicidade nacional, o planeamento, as ações de ativação de marca, de relações públicas, os eventos e as autopromoções. São dirigidos a todas as empresas e profissionais que, a título individual ou integrados em empresas, tenham apresentado trabalhos em Portugal ou no exterior, desde que exerçam a sua atividade em Portugal. A categoria Mercados Lusófonos destina-se a agências/trabalhos dos países da CPLP (com exceção de Portugal). Nesta 13ª edição podem ser inscritos trabalhos/projetos tornados públicos entre os dias 1 de abril de 2023 e 31 de abril de 2024.

São atribuídos três prémios por categoria – ouro, prata e bronze -, existindo este ano 66 categorias a concurso. Estas, por sua vez, integram-se em 16 grandes categorias (Televisão | Cinema, Audio, Imprensa, OOH, Digital, Ativação, Eventos, Relações Públicas, Marketing Relacional, Planeamento de Media, Sustentablidade e Responsabilidade Social, Suporte Alternativo | Inovação, Projeto Integrado, Mercados Internacionais, Autopromoções e Mercados Lusófonos).

Para além dos troféus/categoria, será igualmente atribuído, se o júri assim o entender, um Grande Prémio, para aquele que for considerado o melhor trabalho de todos os que se apresentaram a concurso. Serão ainda atribuídos os prémios Agência Criativa do Ano e Agência de Meios do Ano (este último se o número de inscrições | prémios o justificar) às agências que tenham sido mais premiadas nesta 13ª edição dos Prémios de Criatividade M&P e o Prémio Anunciante do Ano à empresa|marca mais premiada. Será também entregue o prémio Produtora do Ano, à produtora com mais troféus ganhos nas Categorias de Craft (se o número de pontos o justificar). Para se chegar a estes prémios serão contabilizados os votos de cada agência|empresa, sendo que cada Ouro vale 3 pontos, Prata 2, Bronze 1 e shortlist 0,5. O Grande Prémio vale 7 pontos, embora anulando os 3 pontos do Ouro que o trabalho terá obrigatoriamente que ter ganho.

No prémio Agência de Meios, contamos os pontos obtidos nas inscrições registadas pelas mesmas.

Regras

  1. Os prémios Criatividade M&P visam premiar os melhores trabalhos produzidos|veiculados entre 01/04/2023 e 31/04/2024.
  2. As inscrições estão abertas a todas as empresas e profissionais que tenham apresentado trabalhos em Portugal ou que, operando em Portugal, tenham produzido trabalhos para o exterior.
  3. As inscrições e todos os dados nelas apresentados são da exclusiva responsabilidade das empresas que concorrem, não se responsabilizando o Meios&Publicidade pelos mesmos. O material e a documentação não serão devolvidos.
  4. Os participantes autorizam a exibição pública ou privada dos trabalhos, bem como a compilação e venda dos conteúdo|imagens, seja no jornal Meios & Publicidade, seja noutros produtos da Workmedia.
  5. A organização e o júri reservam-se ao direito de reclassificar trabalhos entre categorias, bem como anular ou alterar qualquer das categorias caso os trabalhos a concurso não apresentem as características consideradas necessárias.
  6. Se o número de trabalhos o justificar, algumas categorias podem ser desdobradas em mais do que uma.
  7. Em caso de desistência, após a data limite estabelecida para as inscrições, manter-se-á a empresa registada como concorrente, responsável pelo pagamento do valor da totalidade das inscrições, conforme e-mail de confirmação, não havendo devolução de qualquer valor, caso o mesmo tenha sido efetuado.
  8. Caso os materiais não sejam enviados dentro do prazo estabelecido, será considerado como uma desistência, sendo tratado como tal.
  9. As empresas concorrentes deverão identificar explicitamente qual o vídeo a a passar na entrega de prémios, em caso de atribuição de prémio.
  10. Todos os prémios serão atribuídos por maioria dos votos do júri.

Informações

Júri

O júri será composto por 16 profissionais com um percurso reconhecido nas áreas da publicidade, marketing e comunicação, sendo presidido pela diretora do jornal M&P. que não terá direito de voto, exceto em caso de empate.

  • Alexandre Costeira, diretor criativo, Gr8 Events
  • Américo Vizer, diretor criativo, LLYC
  • Filipe Teotónio Pereira, diretor geral, Nova Expressão
  • Ivo Purvis, diretor criativo, Dentsu Creative Portugal
  • João Madeira, chief creative officer, Fuel
  • Judite Mota, chief creative officer, VML
  • Kiko Pedreira, diretor criativo, Clube Recreativo
  • Luís Lobato de Almeida, diretor de marca, Pingo Doce
  • Mário Patrocínio, fundador e realizador, Bro Cinema
  • Nuno Cardoso, founder & creative diretor, Nossa
  • Nuno Filipe Miranda, diretor de marketing, DAZN
  • Pedro Morgado, chief creative officer, Fullsix
  • Rita Amzalak, managing partner, Havas Media
  • Rodrigo Silva Gomes, CEO & founder, Lola Normajean
  • Vasco Thomaz, diretor criativo, Judas

A decisão do júri é soberana e definitiva e não poderá ser sujeita a qualquer recurso.

Votação

Terminado o prazo de inscrições, cada jurado terá acesso a todos os trabalhos a concurso, elegendo em cada categoria os trabalhos que em sua opinião merecem passar a shortlist. Esta será composta pelos trabalhos votados por pelo menos metade dos jurados. Haverá posteriormente uma reunião de júri onde os trabalhos selecionados serão vistos e discutidos. Em cada categoria ganharão os trabalhos que recolherem o maior número de votos. A diretora do Meios & Publicidade, só participará na votação em casos de empate. A escolha do júri é soberana.

As empresas onde exercem funções os membros do júri, profissionais de méritos reconhecidos nas diferentes áreas da comunicação, não estão impedidas de inscrever trabalhos, mas os jurados não podem votar nos trabalhos das suas agências|empresas, nem para shortlist, nem na decisão final. Os resultados serão divulgados apenas na entrega de prémios.

Inscrição

Deve preencher o formulário que formaliza a sua inscrição. Será depois contactado por Teresa Albuquerque (talbuquerque@meiosepublicidade.pt), que a validará.

De seguida as peças a concurso devem ser enviadas por email ou serviço de transferência de ficheiros (ex: Wetransfer, My Air Bridge, etc.) para Teresa Albuquerque (talbuquerque@meiosepublicidade.pt)

Cada inscrição tem obrigatoriamente que conter:

  • Um PDF no máximo de duas páginas com imagens e a sinopse dos trabalhos a concurso.
  • Um documento Word com a sinopse e uma breve Ficha Técnica do trabalho, onde deve figurar o nome do trabalho e quem propõe o mesmo a concurso, devendo ser identificadas as entidades envolvidas, nomeadamente a agência e o cliente, bem como outras entidades eventualmente envolvidas;
  • Nas categorias de Digital deve ser enviado igualmente o URL dos trabalhos;
  • Nas categorias Audio o trabalho deve ser enviado num ficheiro MP4;
  • Nas categorias de Televisão | Cinema e Autopromoções as peças devem ser enviadas em ficheiros AVI, MP4, MPG, WMV ou MOV.
  • Podem ser enviados videocases dos trabalhos a concurso, sendo estes especialmente relevantes nas categorias de eventos.

Os PDF, os ficheiros áudio e os vídeos servirão para os jurados apreciarem os trabalhos. Em caso de vitória as imagens dos PDF e os textos do ficheiro Word serão publicados pelo M&P.

Pede-se aos participantes que indiquem em que categoria o trabalho está inscrito. É possível inscrever o mesmo trabalho em mais do que uma categoria.

Em caso de envio de mais do que um video é essencial que os participantes indiquem explicitamente qual o video a exibir na entrega de prémios caso o trabalho seja premiado com Ouro.

DATA LIMITE DE RECEÇÃO DOS TRABALHOS: 5 de julho às 18h.

Preço

O custo de cada inscrição é de 160€. No caso de as empresas inscreverem um número igual ou superior a 11 trabalhos será feito um desconto (incluindo nos 10 primeiros). A inscrição de cada trabalho passa assim a ter um custo unitário de 130€. Após 31 de maio, e durante três semanas, até dia 21 de junho, continuaremos a aceitar inscrições mas com uma penalização no preço. Assim, o valor unitário de cada inscrição passa de 160€ para 180€ no caso de inscrever até 10 trabalhos e de 130€ para 150€ se concorrer com mais de 10 inscrições.

Aos valores apresentados acresce IVA à taxa em vigor.

Pagamento

O pagamento deve ser realizado com a inscrição das peças e representa um dos requisitos para a validação das mesmas a concurso.

O pagamento poderá ser efetuado por transferência bancária:

Transferência bancária

  • Workmedia – Comunicação SA
  • Banco: Caixa Geral Depósitos
  • Número de conta: 675045878430
  • SWIFT: CGDIPTPL
  • IBAN: PT50 0035 0675 00045878430 39
  • com a referência de pagamento PCRIATIVIDADE seguido do NOME DE FATURAÇÃO DO CLIENTE.

O comprovativo da transferência deverá ser enviado para o email talbuquerque@meiosepublicidade.pt.

Vencedores

Divulgação dos vencedores

Os vencedores serão divulgados numa festa a realizar em Lisboa para a qual serão convidados todos os que inscreveram trabalhos.

NOTA: AS INSCRIÇÕES SERÃO CONSIDERADAS VÁLIDAS QUANDO RECEBER, POR E-MAIL, A CONFIRMAÇÃO. ESSA CONFIRMAÇÃO SERÁ ENVIADA APÓS RECEBERMOS A INDICAÇÃO DOS TRABALHOS QUE PRETENDE INSCREVER.

Júri

Televisão | Cinema

01. Ação Especial | Brand Entertainment

Nesta categoria pretendemos premiar as ações comerciais que, extravasando o âmbito do spot convencional, utilizam de forma criativa os meios televisão / cinema e também as ações/formatos que melhor articularam a presença da marca/empresa com conteúdos de entretenimento.

02. Filme

Nesta categoria vamos premiar os melhores filmes publicitários criados e produzidos para televisão / cinema. O conceito criativo, a realização e a produção são alguns dos fatores de avaliação.

03. Campanha

Mais do que um filme isolado, nesta categoria pretendemos distinguir a coerência e criatividade dos filmes que fazem parte de uma mesma campanha.

04. Craft | Realização

Mais do que a ideia subjacente ao spot, nesta categoria o júri vai avaliar a qualidade estética/artística da filmagem, edição e realização, a sua complexidade e o facto de contribuir de forma definitiva para o resultado final da peça publicitária.

Q&A - Perguntas Frequentes

A quem se destinam os Prémios de Criatividade M&P?

São dirigidos a todas as empresas e profissionais que, a título individual ou integrados em empresas, tenham apresentado trabalhos em Portugal ou que, tendo apresentado trabalhos no exterior, exerçam a sua atividade em Portugal. A categoria Mercados Lusófonos destina-se a agências|trabalhos dos países da CPLP (com exceção de Portugal).

Quantas categorias estão a concurso?

Existem este ano 66 categorias a concurso. Estas, por sua vez, integram-se em 16 grandes categorias (Televisão|Cinema, Audio, Imprensa, OOH, Digital, Ativação, Eventos, Marketing Relacional, Relações Públicas, Planeamento de Media, Sustentabilidade e Responsabilidade Social, Suportes Alternativos|Inovação, Projeto Integrado, Mercados Internacionais, Autopromoções e Mercados Lusófonos). São atribuídos três prémios por categoria – ouro, prata e bronze - podendo ainda existir um Grande Prémio por cada uma destas grandes áreas.

A existência deste Grande Prémio depende da apreciação do júri. Em sentido contrário, mediante a avaliação das peças a concurso, os jurados podem entender não atribuir os três troféus nas 66 categorias.

Para além dos troféus categoria, será igualmente atribuído, se o júri assim o entender, um Grande Prémio, para aquele que for considerado o melhor trabalho de todos os que se apresentaram a concurso. Serão ainda atribuídos os prémios Agência Criativa do Ano e Agência de Meios do Ano (este último se o número de inscrições|prémios o justificar) às agências que tenham sido mais premiadas nesta 13ª edição dos Prémios de Criatividade M&P e o Prémio Anunciante do Ano à empresa|marca mais premiada. Será também entregue o prémio Produtora do Ano, à produtora com mais troféus ganhos nas Categorias de Craft (se o número de pontos o justificar). Para se chegar a estes prémios serão contabilizados os votos de cada agência/empresa, sendo que cada Ouro vale 3 pontos, Prata 2, Bonze 1 e shortlist 0,5. O Grande Prémio vale 7 pontos, embora anulando os 3 pontos do Ouro que o trabalho terá obrigatoriamente que ter ganho.

Nos prémios Agência de Meios e Produtoras, contamos os pontos obtidos nas inscrições feitas respectivamente pelas agências de meios e produtoras.

No caso de inscrever um trabalho em mais do que uma categoria, como é feita a contabilização dos trabalhos a concurso?

Cada categoria é uma inscrição, logo a contabilização é a soma das categorias.

Poderão existir categorias sem vencedor?

Sim. Se o júri entender que nenhum dos trabalhos a concurso em determinada categoria tem qualidade suficiente o prémio fica por atribuir.

Poderão existir dois ou mais vencedores numa só categoria?

Sim. Excecionalmente o júri pode atribuir mais do que um Ouro, Prata e Bronze por categoria.

Quando é que os premiados serão conhecidos?

Serão conhecidos apenas na festa de atribuição dos prémios, em data a anunciar.

Quem são os elementos do júri?

O júri na edição deste ano é constituído por:

  • Alexandre Costeira, diretor criativo, Gr8 Events
  • Américo Vizer, diretor criativo, LLYC
  • Filipe Teotónio Pereira, diretor geral, Nova Expressão
  • Ivo Purvis, diretor criativo, Dentsu Creative Portugal
  • João Madeira, chief creative officer, Fuel
  • Judite Mota, chief creative officer, VML
  • Kiko Pedreira, diretor criativo, Clube Recreativo
  • Luís Lobato de Almeida, diretor de marca, Pingo Doce
  • Mário Patrocínio, fundador e realizador, Bro Cinema
  • Nuno Cardoso, founder & creative diretor, Nossa
  • Nuno Filipe Miranda, diretor de marketing, DAZN
  • Pedro Morgado, chief creative officer, Fullsix
  • Rita Amzalak, managing partner, Havas Media
  • Rodrigo Silva Gomes, CEO & founder, Lola Normajean
  • Vasco Thomaz, diretor criativo, Judas

Inscreva-se agora!

O custo de cada inscrição é de 160€. No caso de as empresas inscreverem um número igual ou superior a 11 trabalhos será feito um desconto (incluindo nos 10 primeiros). A inscrição de cada trabalho passa assim a ter um custo unitário de 130€. Após 31 de maio, e durante três semanas, até dia 21 de junho, continuaremos a aceitar inscrições mas com uma penalização no preço. Assim, o valor unitário de cada inscrição passa de 160€ para 180€ no caso de inscrever até 10 trabalhos e de 130€ para 150€ se concorrer com mais de 10 inscrições.

Aos valores apresentados acresce IVA à taxa em vigor.

Para mais informações contacte:

Edições anteriores

Contactos

Em caso de dúvidas, entre em contacto pelo formulário abaixo ou pelos meios de comunicação fornecidos. Responderemos o mais brevemente possível.